• idealineweb

6 estratégias para a gestão da segurança privada

Atualizado: Nov 4



A explosão que os centros urbanos vivenciaram nas últimas décadas e o aumento das diferenças sociais trouxeram a segurança para o centro dos debates e um desafio para as instituições. Enquanto o Estado peca em prover a segurança pública, o investimento na segurança privada cresce, suprindo esse vácuo deixado pelos órgãos públicos.

Segundo uma pesquisa do DataSenado, realizada em fevereiro de 2021, a segurança pública (ou no caso a insegurança) aparece entre os cinco principais problemas do país, estando a saúde em primeiro lugar, o desemprego em segundo, em preceito o custo de vida e a corrupção em quarto lugar, antes da segurança pública que ocupa a quinta posição.

Prova disso está nos dados divulgados pelo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que aponta o crescimento de quase 30% do número de registros de armas de fogo no país apenas em 2020. Em apenas três anos, o Brasil duplicou o número de armas de fogo nas mãos de civis, contabilizando uma arma a cada 100 brasileiros. Para especialistas, esse dado pode estar associado à alta na violência.

Nesse cenário de instabilidade e fracasso do Estado na garantia da segurança, é a segurança privada que assume a função de proteção do patrimônio, permitindo que as forças de segurança pública se concentrem no combate direto à criminalidade de forma ostensiva, uma vez que se encarrega da segurança preventiva.

Logo, investir em gestão da segurança privada passa a ser prioridade tanto no âmbito doméstico quanto empresarial. O mercado de segurança privada está em franca expansão e todo dia surgem novas tecnologias e serviços para atender a demanda. Mas, antes de contratar soluções, é preciso pensar a gestão da segurança privada estrategicamente.


O que é gestão de segurança privada





A gestão da segurança privada é o somatório das ações em segurança, envolvendo planejamento, organização, direção, controle de recursos humanos, materiais e financeiros e avaliação, concernentes aos serviços de segurança, coordenados de forma a gerar resultados positivos na proteção das pessoas, patrimônios e dados, buscando o aperfeiçoamento dos processos de segurança com um todo.

Vamos listar algumas ações que você pode tomar para garantir a eficiência na gestão da segurança privada



6 estratégias para a gestão da segurança privada







1.Realize o planejamento estratégico


O primeiro passo para qualquer gestão é o planejamento. Todas ações precisam estar coordenadas com um mesmo objetivo para que sejam efetivamente eficazes. Todo planejamento começa pelo diagnóstico do problema, identificando as falhas na segurança e elaborando estratégias para resolvê-las.

Na sequência o planejamento deve proceder a análise dos riscos de segurança que irão embasar o planejamento tático e operacional da gestão de segurança. Será necessário uniformizar os processos de segurança e fomentá-los entre os agentes para que todos estejam comprometidos com o funcionamento do planejamento estratégico.

Por fim, sendo o planejamento um processo contínuo, o monitoramento e avaliação dos processos será fundamental para a manutenção do plano. O acompanhamento permanente dos indicadores de segurança patrimonial permitirá detectar as medidas eficazes bem como os pontos que necessitam de reparos para a eficiência da gestão de segurança privada.


2. Contrate profissionais capacitados


Um plano de segurança eficaz deve envolver dispositivos eletrônicos, vigilantes especializados, veículos para monitoramento e acompanhamento para proteger pessoas e patrimônios.

O mais recomendado é a terceirização dessa atividade através da contratação de empresas especializadas em segurança privada. Para isso você não deve economizar, escolha os prestadores conforme as referências e avaliações, não apenas pelo custo do serviço.

Os profissionais que resguardarão os seus bens devem ser capacitados por uma empresa habilitada. Isto é, para prestarem serviços na área de segurança, esses especialistas precisam estar relacionados a uma empresa que esteja de acordo com as normas definidas pelo Ministério Público (MP) e Polícia Federal (PF).

A contratação de forma irregular de empresas não autorizadas ou de “seguranças” não cadastrados (irregulares), tem gerado diversos problemas para as empresas sérias e regulares da Segurança Privada.


3. Combine recursos humanos e tecnologia


Além de pessoal qualificado, a tecnologia é primordial para a segurança privada. O principal benefício da tecnologia para a gestão de segurança privada é a possibilidade de utilizar equipamentos mais autônomos, que dependem cada vez menos das pessoas. Isso possibilita que os recursos humanos sejam direcionados para melhorias e para o planejamento estratégicos.

Sistema eletrônico de monitoramento, controles de acesso para pessoas e veículos, portarias remotas, circuitos fechados de TV, segurança remota e aplicativos de segurança são exemplos de soluções tecnológicas que permitem uma gestão de segurança privada eficaz.

Tão importante quanto realizar a instalação desses equipamentos é a contratação de uma empresa que disponha de planejamento e equipe especializada para as manutenções preventivas e corretivas. Dessa forma, torna-se possível garantir a eficácia e segurança esperada.


4. Invista em comunicação


A comunicação é fundamental na gestão da segurança privada. As regras precisam ser claras e objetivas para garantir o pleno entendimento. Assim como é imprescindível assegurar o acesso de todos as normas e informações funcionais. Todos precisam estar “na mesma página” para o sucesso da segurança privada.

Além disso, desenvolva e documente procedimentos de segurança para utilização em emergências e demais situações que se façam necessárias. Treine funcionários e coloque em prática tudo o que foi pensado.


5. Estabeleça uma liderança eficiente


Uma liderança eficaz é garantia de uma equipe comprometida e processos funcionando corretamente. Para isso o líder precisa estar verdadeiramente comprometido com a segurança e o bem-estar de todos, sejam seus colaboradores ou seus clientes, além de saber se relacionar com o seu time de forma inteligente.

Um bom gestor em segurança privada também deve conhecer bem a área de segurança e os riscos a que está exposto cada elemento protegido. Assim como receber treinamento e reciclagem para o sistema instalado e manter-se atualizado sobre as tecnologias disponíveis no mercado de segurança privada, a fim de possibilitar a constante atualização dos mecanismos de segurança.


6. Proteja seus dados


Não esqueça de investir em segurança da informação. A proteção do patrimônio intelectual é uma estratégia de segurança indispensável a qualquer empresa. O prejuízo de uma base de dados perdida ou o vazamento de informações confidenciais pode ser incalculável, e o resultado mais danoso possível. Aqui, a dica de segurança é a aquisição de bons sistemas de nuvens e armazenamento, automatização de backups e firewalls e uma boa ferramenta de criptografia.

Essas são algumas ações que você pode implementar para aumentar o êxito da gestão da segurança privada. Não poupe esforços nem recursos na hora de investir em segurança, o resultado de suas ações está diretamente relacionado ao seu nível de comprometimento e investimento.




4 visualizações0 comentário