• idealineweb

Hospital 4.0: a tecnologia aliada a segurança hospitalar

Você sabe o que é hospital 4.0? Com certeza já ouviu falar em internet 4.0 ou indústria 4.0. Pois saiba que esse conceito surge a partir do que definimos por quarta revolução industrial, que mistura técnicas de produção de vanguarda com sistemas inteligentes que se integram com as organizações e pessoas. Logo, quando falamos hospital 4.0 estamos nos referindo à aplicação dessas tecnologias no ambiente hospitalar.


No contexto do hospital 4.0, a quarta onda da revolução industrial também está diretamente relacionada com a forma como usamos dados. Muitas das soluções desenvolvidas buscam a otimização da gestão de dados de forma a acelerar os processos e ampliar a quantidade e qualidade da informação para orientar as tomadas de decisões. Essas ferramentas ajudam tanto nas intervenções médicas quanto na própria gestão hospitalar.


O uso da tecnologia está cada dia mais presente em nossas rotinas. Praticamente qualquer atividade que realizamos envolve a aplicação de alguma tecnologia, e todos ganhamos em celeridade e eficiência por causa disso. Portanto, nada mais lógico que implementar esses avanços em uma área onde precisão e acerto são fundamentais, como é a medicina.


Com a tecnologia, aumenta o controle e diminui os riscos em operações complexas, como são as operações hospitalares. Bem como a automatização das informações, que além de reduzir a perda de tempo com processos simples, libera os profissionais da saúde para o realizar o cuidado ao paciente. Além disso, as diversas tecnologias disponíveis, proporcionam a aquisição de uma gama de informações e dados que ajudam a desenvolver melhores decisões e ações para o tratamento e a manutenção da saúde do paciente.


Mas, e o que o hospital 4.0 tem de diferente?


De forma geral o hospital 4.0 existe a partir da conexão do meio físico (infraestrutura de atendimento), biológico (profissionais e pacientes) e digital (software). Trata-se de uma integração total entre os serviços hospitalares e as soluções tecnológicas que envolvem diversos tipos de inovação, com intuito de criar um ambiente mais ágil, seguro, eficaz e de alta qualidade.


Muito se diz que o hospital 4.0 seria o hospital do futuro, mas na prática muitas das inovações já fazem parte da rotina hospitalar. A revolução do hospital 4.0 acelerou o processo de maturidade digital de um hospital disponibilizando infraestrutura e dispositivos mais modernos e com custos exponencialmente menores. Com diversas tecnologias aplicadas, é possível criar um hospital inteligente e conectado, em que as rotinas e os processos sejam otimizados e os profissionais de saúde consigam agir com mais agilidade e assertividade.


Uma premissa importante é que nesse conceito de hospital 4.0 os pacientes são o centro do processo. Essa mudança acaba alterando a própria atuação médica, que deixa de ser reativa para ser propositiva. Ao invés de tratar doenças, busca-se a prevenção delas.


O Hospital 4.0 está promovendo um impacto geral na gestão das instituições de saúde, nos serviços ao paciente e também na rotina de todos os profissionais envolvidos. Há hoje uma percepção de atuação cooperada, que aumenta a eficácia do trabalho desenvolvido por cada membro da equipe de saúde. O paciente, por sua vez, tem mais autonomia e mais conhecimento, tudo isso graças à tecnologia


E quais são as tecnologias do hospital 4.0?

  • Telemedicina

A telemedicina é um processo avançado para monitoramento de pacientes, troca de informações médicas e análise de resultados de diferentes exames. Estes exames são avaliados e entregues de forma digital, dando apoio para a medicina tradicional.


Por meio da telemedicina, os especialistas conseguem acessar os exames de qualquer lugar do país, utilizando computadores e dispositivos móveis, como smartphones e tablets conectados à internet. Da mesma forma que a comunicação com os pacientes pode ocorrer remotamente através de plataformas de comunicação digital, desde streamings até aplicativos de conversa.

  • Inteligência Artificial

Entendemos por inteligência artificial o uso de sistemas informatizados e símbolos computacionais para prever e imitar o comportamento humano. A aplicação dessa tecnologia no hospital 4.0 se dá através do uso de computadores que, analisando um grande volume de dados e seguindo algoritmos definidos por especialistas na matéria, são capazes de propor soluções para problemas médicos.

  • Internet das Coisas

Falar em internet das coisas é falar de objetos, componentes e dispositivos conectados à internet, que no contexto do hospital 4.0 permitem a coleta de dados de forma autônoma e contínua. Quando conectados à internet, dispositivos médicos comuns podem coletar dados adicionais inestimáveis, dar uma visão extra sobre sintomas e tendências, possibilitar o atendimento remoto e geralmente dar aos pacientes mais controle sobre suas vidas e tratamento.

  • Realidade Aumentada

A Realidade Aumentada integra o físico e o virtual por meio da sobreposição de imagens computadorizadas no mundo tal qual conhecemos e enxergamos. Para tanto, usamos algum tipo de dispositivo para gerar essa integração. No campo da saúde a realidade aumentada permite representar as estruturas do corpo humano com maior precisão, contribuindo para a visualização de estruturas menores.


Imagine a eficiência de analisar a musculatura, veias e órgãos de um paciente, a partir da integração de dados com os exames de ressonância magnética ou de uma tomografia computadorizada, entre outros?

  • Impressão 3D

A impressora 3D é um equipamento que consegue imprimir objetos em formato tridimensional. Na área da saúde pode ser uma ferramenta para otimizar a qualidade de diagnósticos e tratamentos. Atualmente o equipamento já é aproveitado para construir próteses a um custo muito mais baixo, até mesmo produzir órgãos utilizando células do próprio paciente como base, o que derruba as taxas de rejeição.


Hospital 4.0 e a gestão de saúde


Além das possibilidades listadas, estão à disposição do hospital 4.0 diversas ferramentas de automação, principalmente softwares e plataformas de gestão da informação. Todos esses dispositivos são tão produtivos para o tratamento e prevenção de doenças, quanto para a gestão hospitalar.


A tecnologia tem o potencial de alterar os resultados de assistência à saúde entre 30% e 40% e de reduzir pela metade os custos de tratamento. Mais assertividade significa menos custos. Com a aplicação de tecnologias de plataformas online, inteligência artificial e previsões de demanda, por exemplo, é possível aperfeiçoar resultados financeiros através de controle de custos, gestão de fornecedores, gestão do tempo, redução de desperdícios e mitigação de erros.


Soluções para controle de dados auxiliam na tomada de decisão médica e também administrativa. Quanto mais informações sobre as rotinas de trabalho de uma instituição, gestão de estoque e recursos humanos, melhor será a administração destes, otimizando os recursos e reduzindo o desperdício.


Enfim, os hospitais receberam mais um integrante para a equipe médica: a tecnologia. A verdade é que as máquinas estão aí para facilitar o trabalho e trazer mais eficiência em todas as áreas das relações humanas, então porque não aproveitar?


38 visualizações0 comentário