• idealineweb

Reconhecimento facial: Tudo que você precisa saber



A tecnologia está cada dia mais presente em nossas vidas e, não raras às vezes, nem percebemos quando estamos usando soluções que mal conhecemos. Talvez você não saiba exatamente o que ou como funciona o reconhecimento facial, mas com certeza já usou essa ferramenta em algum momento da sua vida, e talvez ela até faça parte da sua rotina sem que você perceba.

O reconhecimento facial surgiu como uma ferramenta de identificação e hoje é uma das soluções de biometria que mais avança, principalmente depois que começamos a vivenciar a primeira pandemia do século XXI. Com a necessidade de distanciamento social, as tecnologias sem contato ganharam destaque, multiplicando suas formas de aplicações. Vamos entender o que é e como funciona o reconhecimento facial?


O que é Reconhecimento Facial?


O reconhecimento facial é uma técnica de identificação biométrica. A biometria é um dos caminhos mais seguros para a identificação de pessoas e proteção de dados. Do grego, bios (vida) + metron (medida), a biometria é a medição da vida, ou em termos mais gerais, o estudo estatístico de características físicas e comportamentais. Quando aplicada à segurança da informação, a biometria consiste na aplicação de métricas a atributos biológicos, para fins de aferição e identificação de um indivíduo.

O objetivo da biometria é reconhecer pessoas por suas características fisiológicas e comportamentais. Ou seja, é a utilização do próprio corpo como senha ou identificação humana. E isso favorece o fornecimento de informações únicas, precisas, verdadeiras e seguras. Impressão digital, reconhecimento de íris, de retina, de voz ou facial, são todas formas de biometria.

Nesse cenário, o reconhecimento facial é uma das soluções mais modernas de biometria, se baseando nas características da face para criar um padrão único, assim, identificando pessoas a partir da medição e análise da forma e da estrutura de seus rostos. Há vários métodos de reconhecimento, mas, de modo geral, tecnologias do tipo funcionam fazendo um mapeamento bidimensional (2D) ou tridimensional (3D) da face do indivíduo e comparando o resultado com os dados existentes em um banco de imagens.


Como funciona o reconhecimento facial?





O reconhecimento facial funciona com um sistema que utiliza algoritmos e softwares para mapear padrões nos rostos das pessoas. Apesar das variações de pessoa para pessoa, um rosto humano possui uma composição básica que não se altera, que é lida pelos aplicativos como pontos em comum, que variam de acordo com a complexidade do sistema.

Os sistemas de reconhecimento facial partem de um mesmo princípio: detectar um rosto em formas geométricas e algorítmicas e então montá-lo como em um quebra-cabeça. Esses pontos em comum - como os dois olhos e a distância entre eles, o nariz e seu comprimento, a boca, as bochechas e o queixo, limitam o formato da face e o espaço ocupado por ela - são identificados por uma câmera e armazenados no formato de algoritmos em um banco de dados, que os reconhecem através de cálculos.

Um fato interessante é que o reconhecimento facial também consegue se adaptar. O sistema pode ser configurado para reconhecer um usuário de óculos, mesmo que sua captura tenha sido feita sem o acessório, ou até mesmo reconhecer o envelhecimento da face. Afinal, a base dele é feita sobre as formas e contornos do rosto.


Onde é usado o reconhecimento facial?



Como falamos anteriormente, você pode estar usando o reconhecimento facial diariamente e nem sabia como funciona! Isso porque a maioria dos smartphones hoje já oferece o desbloqueio com reconhecimento facial ou mesmo os aplicativos de fotos que se valem da tecnologia para oferta de filtros e animações para os usuários.

A tecnologia também tem sito usada por meios de comunicação para identificar celebridades durante a cobertura de eventos importantes, por empresas de entretenimento e mídia para indexar arquivos de imagem e vídeo automaticamente, além até de ajudar grupos humanitários que trabalham na identificação e no resgate de vítimas de tráfico de pessoas.

Cada dia mais empresas optam pelo seu uso para agilizar a vida de seus clientes, aumentar a segurança de seus negócios e até mesmo explorar novas possibilidades de marketing. Em ambientes corporativos, a solução permite, por exemplo, que cada vez que o sistema reconhece um rosto, seja emitida mensagem para abrir uma fechadura, acender as luzes, enviar alertas ou alguma outra ação que esteja programada automaticamente.

O relacionamento com o cliente tem muito a ganhar com o reconhecimento facial, tanto no ambiente físico como no online. Para o e-commerce, é possível verificar certos hábitos dos clientes: quanto tempo ele permanece em seu site, quais os itens pesquisados, entre outros. E o objetivo é o mesmo no caso de lojas físicas. Com o uso de câmeras, dá para monitorar quais setores do estabelecimento mais geram interesse em determinado consumidor. Isso promove uma base para otimizar o atendimento e melhorar a distribuição dos itens até o pagamento no caixa.

No âmbito organizacional, também pode ser usada na gestão de recursos humanos para controle de ponto, facilitado a rotina de muitas pessoas ao facilitar o acesso por meio de qualquer celular com câmera. Fornecendo apoio também no home office e no controle de ponto em locais remotos, mesmo sem acesso à internet. E ainda pode ser aplicada como ferramenta de acesso a sistemas, substituindo cartões e senhas, de forma a reduzir os riscos de fraude por roubo ou vazamento de dados importantes.

Mas, uma das principais aplicações do reconhecimento facial é no controle de acesso. De condomínios fechado até aeroportos internacionais, o reconhecimento facial proporciona segurança para os acessos, podendo ser programado em níveis hierárquicos. Além de permitir a identificação de pessoas estranhas ao ambiente. Depois da pandemia, terminais de reconhecimento facial como os da empresa Idealine são encontrados em hospitais, escolas e empresas como soluções de acesso mais seguras e eficientes.

Apesar de existirem muitos questionamentos com relação à questão da privacidade dos cidadãos, a tecnologia de reconhecimento facial chegou para ficar, com todos os benefícios que pode oferecer. Com critério e principalmente, com uma fiscalização eficiente, é possível sim usar a biometria facial para evitar crimes, otimizar serviços e aumentar a segurança de todos, seja em espaços públicos ou ambientes privados.





8 visualizações0 comentário